JOÃO BATISTA DE ANDRADE

DIFUSÃO CINECLUBE E CNC HOMENAGEIAM
JOÃO BATISTA DE ANDRADE NO FAIA2011

O cineasta João Batista de Andrade será homenageado pelo CNC – Conselho Nacional de Cineclubes Brasileiros na noite de abertura da sexta edição do FAIA – Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual, quando lhe será entregue o Troféu Paulo Emílio Salles Gomes.

A homenagem acontece na noite de 8 de maio, em Atibaia, no Centro de Convenções Vitor Brecheret e é organizada pelo Difusão Cineclube.

Criado pelo CNC, o Troféu Paulo Emílio Salles Gomes é outorgado a personalidades da cultura e do audiovisual que através de ações demonstraram real comprometimento com as idéias e ideais defendidos pelo movimento cineclubista brasileiro, como é, sem dúvida, o caso do cineasta João Batista de Andrade.

Assim, a partir do próximo dia 8 de maio, João Batista de Andrade passará a compor na galeria dos cineastas brasileiros já contemplados pelo CNC, dentre os quais merecem destaque os cineastas Geraldo Moraes, Rosemberg Cariry, Silvio Tendler e Silvio Da Rin.

SERVIÇO

HOMENAGEM AO CINEASTA JOÃO BATISTA DE ANDRADE
Entrega do Troféu Paulo Emílio Salles Gomes.

DIA 08/05 – 20h

CENTRO DE CONVENÇÕES VICTOR BRECHERET

entrada franca
classificação: livre 

Veja quem é o cineasta João Batista de Andrade.

O escritor, roteirista e cineasta João Batista de Andrade, ex-Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, doutor em Comunicações pela Universidade de São Paulo, nasceu em Ituiutaba (MG), em 01/dezembro/1939. Iniciou sua carreira em 1963 como integrante do “Grupo Kuatro” de cinema, ainda estudante de engenharia na Universidade de São Paulo. Seu primeiro filme “solo” foi o documentário “Liberdade de Imprensa” (1967), produzido pelo movimento universitário.

Como cineasta tem uma carreira premiada nacional e internacionalmente onde se alternam os documentários (como “Migrantes”, melhor filme Bahia/1973, “Greve!” Prêmio especial do Júri do 1º Festival Internacional de Havana/1979), os diversos filmes para TV , (TV Cultura /TVGlobo-Globo Repórter, como “Caso Norte”/ 1977) e quinze longas-metragens, dos quais os mais conhecidos são: “Gamal” com Paulo César Peréio e Joana Fomm (Prêmio Air France, diretor revelação 1968), “Paulicéia Fantástica” (doc/longa/1970), “Doramundo” (melhor filme/melhor diretor do festival de gramado em 1978), “Wilsinho Galiléia” (1978, para TV, proibido pela censura no Regime Militar), “O Homem que Virou Suco” – foto (melhor filmes, medalha de ouro no Festival Internacional de Moscou/1981, prêmio de crítica, Nevers/França em 1982, melhor roteiro e Melhor Ator Fest. Brasília/1980, entre outros prêmios nacionais e internacionais). “A Próxima Vítima” (1983), “Céu Aberto” (doc/longa sobre a morte de Tancredo Neves e a transição para a democracia, Prêmio Especial do júri Internacional, FEST-RIO/1986, Prêmio OCIC Internacional melhor filme/86 entre outros prêmios nacionais e internacionais), “O País dos Tenentes” (cinco prêmios no festival de Brasília/1987 e Prêmio de melhor filme RIO/CINE/1987), “O Cego que Gritava Luz” (1996), “O Tronco” (1998, prêmio máximo de MELHOR FILME DAS COMEMORAÇÕES DOS 500 ANOS DE BRASIL (Festival de Brasília/99)/ MELHOR DIRETOR F.Recife/2000), “Rua Seis Sem Número”, , filme que representou o Brasil no Festival de Berlim/2003, “Vida de Artista”, documentário de longametragem, MELHOR FILME Festival Mostra do Filme Livre/ Rio 2004. Em 2005 lançou o documentário de longa-metragem “Vlado, Trinta Anos Depois”(Melhor Roteiro/Premio FIESP 2006), a história do jornalista Vladimir Herzog, assassinado na prisão durante o regime militar. Em 2006, “Veias e Vinhos, Uma História Brasileira”, longametragem de ficção (Melhor Dir. de Arte e Melhor Edição de Som Recife/2006). Em 2009 realizou a mini-série “TRAVESSIA”, exibida na TV Brasil, finaliza o longa “Travessia” e o primeiro capítulo da série “Na Sombra da História” (5 capítulos para programas de 01 hora).

Como escritor seu primeiro livro é PERDIDO NO MEIO DA RUA (Editora Global/ 1989). Depois veio o juvenil A TERRA DO DEUS DARÁ (Editora Atual/ 1991), UM OLÉ EM DEUS ( Editora Scipione Cultural/1997) e O PORTAL DOS SONHOS (UFSCAR Editora/20001), O POVO FALA (tese de doutoramento/ Ed. Senac 2002).

Além de sua produção cinematográfica e literária, atuou sempre em diversas frentes do cinema e da cultura brasileira, sendo um dos criadores e primeiro presidente de duas sociedades de ação cultural e ambiental, ICUMAM (Instituto de Cultura e meio Ambiente) em Goiás e CINEMAR em São Paulo. Foi, por duas vezes, Presidente da Associação Paulista de Cineastas (APACI), tendo sido um de seus principais idealizadores e fundadores. Presidente da Cinemateca Brasileira. Foi também Conselheiro do Museu da Imagem e do Som (SP), Coordenador Geral do FICA (Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental) em sua primeira, terceira e nona edições (anos 1999/ 2001/2007). Foi membro do Júri do Festival de Valladolid/ Espanha/1983. Foi membro do Júri do Festival de Gramado/1986. Em outubro/1.999, foi membro do Júri Internacional do Festival de Paris. Em jan/2.000, foi membro do Júri Internacional do Festival Internacional da India (New Delhi). Em 2005, Nomeado Secretario de Cultura do Estado de São Paulo. Em 2007, curador do II Festival Latino-Americano de São Paulo.

Filmografia
Como diretor
Como ator
Como produtor
Como montador

Associação de Difusão Cultura de Atibaia & Difusão Cineclube
30 anos em defesa da arte e da cultura brasileira

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: